Clínica da atividade

Clínica da atividade, risco psicossocial, competências e desempenho laboral

Eleger como unidade de análise da psicologia do trabalho a atividade laboral, atividade vista aqui na perspectiva de Leontiev e Vigotski. Tal foco de pesquisa tem base essencialmente clínica, fundando-se na abordagem semiótica da produção de significados humana, na perspectiva do Círculo Bakhtin e do Self Dialógico. Com tais operadores teóricos, busca-se abordar a distância inelutável entre trabalho prescrito e trabalho real, e entre trabalho visível e trabalho potencial, bem como a margem de prazer, sofrimento e adoecimento inerente a esta dinâmica. Espera-se com tal abordagem trazer novo alento à abordagem do risco psicossocial em contexto laboral, bem como re-situar as competências e habilidades humanas em bases que contemplam o individual mas abarcam igualmente o coletivo, o gênero profissional e o contexto social, histórico e cultural, em diálogo direto com a perspectiva da Clínica da Atividade,  sistematizada por Yves Clot.

Coordenador: Jorge Falcão